sobre ser só.

Ser só. Existe isso?
É claro que não existe de verdade. Mas, existe um sentimento positivo por trás de estar sozinho que talvez tenha outro nome. Talvez tenha a ver com liberdade e com uma primeira fase de independência. Quem gosta das respostas mais sinceras pode ficar insatisfeito por motivos de: não dá para ter certeza do que significa ter tanta vontade de estar só. É uma vontade? Uma resposta? Uma fase?

Não sei o que é. Mas acho que descobri algumas coisas.

É bom ser só. É bom ter espaço. É bom fazer exatamente aquilo que se quer. Principalmente quando na lista de coisas que adoraria fazer neste exato momento incluem atividades solitárias, no melhor sentido: ler um livro, fumar um cigarro, tomar uma garrafa de vinho, assistir trechos do seu filme preferido, ler coisas aleatórias no computador e comer um saco de pipocas para microondas inteirinho.

Bem isso.

E aí que vem o gostinho picante e adocicado de poder fazer esse tipo de coisa livremente. E tem tudo a ver com ser só, com não ter ninguém dependendo emocionalmente da sua companhia.

PAUSA.

“Tem muito a ver com a maturidade das relações”, alguém pode levantar a mão a favor delas. Respondo que sim e peço gentilmente para discutirmos esse nível de maturidade nos relacionamentos mais tarde.

Por enquanto eu fico com essa: é uma delícia estar só.